Grêmio Libertador

O Mago, o mestre e o aprendiz

O Mago, o mestre e o aprendiz

O futebol tem disso, criar personagens, fazer rir e chorar, mas a lição vinda esta semana do vestiário, foi digna de uma trilogia de Jorge Lucas. Romildo e Renato vem demonstrando um entrosamento fora do comum na gestão do futebol, claro tem nosso diretor executivo Klauss Câmara, mas as entidades tricolores são o Mago e o Mestre.

Desde que assumiu como treinador pela terceira vez, Renato nunca esteve tão afinado com a diretoria, não vemos declarações contrárias, não conformidades no vestiário com o executivo, tudo acontece de maneira velada e estrategicamente pensada. Renovações, contrações

Grêmio Libertador

Tardelli – A última engrenagem chegou!

Diego Tardelli – Foto: Reprodução / SporTV

Na formula 1 o momento esperado de todos os anos é quando as equipes lançam seus modelos de carros para temporada. Inovações aerodinâmicas, motores novos e os pilotos é claro. O Grêmio adiou a estreia do seu F1 para última semana possível e não é que mostrou que o carro desse ano vai brigar por pódio em todas as corridas.

A chegada do Tardelli, escancara de vez que o mérito da Gestão Romildo Bonzan é saber contratar, gerir. Alguns podem até dizer que ele errou em algumas contratações, mas seguindo a lógica do falecido

Grêmio Libertador

Caio mais uma estrela que brilha no céu tricolor

Foto: Lucas Rizzatti/Globoesporte.com

Se somos acostumados a conquistas, não aprendemos a lidar com despedidas. Hoje, Caio, o cara que foi fundamental na conquista da Libertadores de 83, fez 4 gols, um deles, o primeiro da final, foi brilhar nos campos do céu, juntou-se ao flecha negra, e outros tantos craques que honraram a camisa do nosso Grêmio

Quis o destino que essa triste notícia se misturasse com a euforia da chegada do Diego Tardelli, o futebol é isso emoções completamente antagônicas, altos e baixos.

Mas querido Caio que Deus conforte o coração dos seus familiares e pode ter certeza, nunca serás

Grêmio Libertador

Gaúchão Feminino é nosso

Foto: Lucal Uebel / Grêmio

Nosso time feminino é mais um motivo para nos orgulharmos. Fomos campeões gaúchos diante do nosso maior rival e lá no aterro, o que só nos deixa mais felizes ainda.
Pelo que andei lendo sobre o nosso futebol feminino, para 2019 teremos mais surpresas positivas, pois o Grêmio já está montando um departamento próprio para as meninas e fazendo maiores investimentos no futebol feminino.

Mais do que merecido é fundamental cultivarmos essa cultura do futebol feminino, assim nossas gremistinhas terão não só a Marta como inspiração, mas craques revelados no próprio Grêmio.

Eu, pai

Grêmio Libertador

O Melhor e o pior momento do ano!

Então é natal…. aquela música enjoada da Simone sempre chega nessa época do ano. Chega também o melhor e o pior momento do ano. Sim, é tipo o décimo terceiro salário, a gente recebe na segunda, fica eufórico na terça e na quarta resmungamos porque acabou muito rápido.  Então agora é tempo de especulação euforia por renovações, contratações e dispensas e o sentimento inverso acontece na mesma proporção

Se a primeira impressão é a que fica,  Renato, Geromel e Kanneman, faz com que sonhamos alto, tipo aquele sonho que o  Everton  não vai ser negociado de jeito nenhum, ou

Grêmio Libertador

A culpa é do Renato!

Época de rescaldo, ver o que sobrou do incêndio… parece dramático ? sim é ! Mas a culpa toda é do Renato. Desde 2016 esse gringo gaúcho-carioca mexe com nosso imaginário… brinca com ele, como brincava com os adversários quando era jogador… Achei que seriamos mais do que campeões gaúchos ou da Recopa sul-americana, achei que seriamos Hexa, Tetra ou qualquer outro múltiplo de títulos que esse “porco Dio” nos fez acreditar…

Enfim, depois da tragédia da semifinal, fiquei com uma puta “depressan” e não conseguia reagir, a única coisa que pensava era que um pombo bem gordo cagasse

Grêmio Libertador

Final não se joga, se ganha

Taça da Liberta só serve na cabeça de um a cada ano
Foto: divulgação Conmebol.

Têm-se dito, e com razão, que as semifinais desta Libertadores poderiam ser, tranquilamente, finais. Os 4 esquadrões que as disputam são dignos de título, isso sem sequer mencionarmos ou entrarmos no mérito do peso de suas camisas. E, pelo que se viu nos jogos de ida, os times entenderam que o caneco da LA só serve na cabeça de um capitão por ano.
A copa, por sua fórmula, tem peculiaridades que a diferenciam do formato de pontos corridos do Brasileirão ou outras ligas mundo afora. Em

Grêmio Libertador

River Plate 0 x 1 Grêmio – Pra sonhar acordado e morrer de ansiedade

Comecei a semana ansioso, a segunda-feira demorava a passar, para dormir então que sacrifício, cada foto que chegava da argentina de gremistas em Buenos Aires era um alento de que nosso time também teria voz naquele Monumental hermano.
Vem terça-feira aquela expectativa que Luan pudesse jogar seria um sinal positivo, a notícia que Everton havia viajado pela manhã prenunciava outra grande boa notícia.

Depois de tentar focar no trabalho, tentar cumprir tarefas, almoçar com um nó na garganta, eis que chega a bendita hora do jogo. Nem Luan, nem Everton, Renato coloca Jael e recheia o meio com Cicero, Maicon,

Grêmio Libertador

BRIGA DE CACHORRO GRANDE

Apesar do título, o nome do cachorro da foto é Toquinho, e você pode encontrá-lo aqui https://www.facebook.com/otoquinho

Prepare o seu coração, para as coisas que eu vou contar (sim, você já ouviu isso em uma canção)… Será a maior semifinal de Libertadores de todos os tempos. Não sou eu que digo isso, são os indicadores. Juntos, os 4 times que sobraram entre os maiores do continente no ano de 2018 somam números expressivos. Ei-los:

PARTICIPAÇÕES NA LA:

River Plate: 34

Boca Juniors: 27

Grêmio e Palmeiras: 18 cada

TOTAL: 97

 

TÍTULOS:

Boca: 6 (1977, 1978, 2000, 2001, 2003, 2007)

Grêmio Libertador

Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim…

Sônia Braga em cena clássica da novela Gabriela, da Globo, em 1975. Foto frame de vídeo.

Certa vez ouvir o neologismo gabrielar em uma conversa. Após alguns segundos com cara de paisagem, meu interlocutor explicou-me a expressão, associando-a ao refrão da música tema da novela global de grande sucesso cuja primeira versão foi ao ar em 1975 e teve uma jovem e bronzeada Sônia Braga como protagonista. Basicamente diz-se gabrielar quando alguém tem dificuldade em mudar, fazendo sempre as mesmas coisas.

Durante algum tempo entre 2005 e 2010 tive um time de futsal, o glorioso Sohnatrave FC. Religiosamente me reunia com mais